25.2.09

Para sempre

- Não olhes assim para mim. É só hoje...
- Mas porquê?
- Ando a ter pesadelos. Acordo sem saber onde estou, cansada, lavada em lágrimas e suor, lágrimas de suor. Acho que me vai fazer bem sentir o calor da tua respiração, ter os teus braços como escudos à volta da minha cintura. Até podias cantar para mim.
- Rejeitaste o meu amor durante anos.
- Foi, desculpa. Mas eu amo-te. É tarde demais?
- Não, nunca. Vou sempre amar-te.
- Eu sei, mãe. Deixas-me ou não dormir contigo?

12 comentários:

Joana Éme. disse...

foi tão inesperado ler o "mãe" que comoveu :')
brilhante, este - como, de resto, já é habitual :)


adicionei-te no meu novo blog ;)

Wilson disse...

Isto fez-me lembrar uma coisa que se passou há alguns anos: o meu tio morreu e tive que ir ao funeral, coisa que fiz pela 1ª vez. Fiquei traumatizado não pela cerimónia em si, mas por ter ficado ao pé do caixão.

Tive noites em que não conseguia dormir e a minha mãe para me apoiar ficava ao pé de mim :D

É nestas situações que se vê que os pais estão sempre aqui para nos apoiar :)

Ivan Mota disse...

Brilhaste, acredita que sim. Saltou-me assim do nada uma catadupa de memórias ao ler este apontamento. Brilhaste, brilhaste...

Aubergine. disse...

Aquele "mãe" ...

Fantástico *

Pandora disse...

Como compreendo o texto.

Adorei :)

Beatriz Cró disse...

e tu vais dormir ao meu lado?

V disse...

oh God tao simples, tao bonito, tao profundo! mae é mae :)

pinguim disse...

Olá! Visita este blog: http://viverporhoje.blogspot.com/.
É do meu grupo de Área Projecto, é importante que possas ler!
Beijinho *

Beatriz Cró disse...

não (quero que) me deixes.

Sofia disse...

[ Wow. Como os demais disseram, mexeu mesmo cá dentro esse "mãe" :X . Gostei ]

baby piggy disse...

Que amoroso :') *

Matilde Cê disse...

a tua mãe sempre dormiu contigo, mesmo sem saberes.