21.3.09

Bang bang (My baby shot me down)


"Vamos juntos?"
"Vou depois. Fico aqui com ela. Importas-te?"
(BANG BANG BANG)
"Não, claro que não."

Continuo a andar com o passo apressado. Ao chegar ao portão branco seco as lágrimas com um "Não sejas palerma" escrito na palma da mão. Amanhã é outro dia, certo?
(O passeio enche-se com o escarlate do meu sangue. Sinto os cabelos peganhentos e os lábios sujos. Os tacões passam-me ao lado e ninguém me oferece a mão, ninguém chama a ambulância. Deixam-me a morrer no chão.)

13 comentários:

Joana Éme. disse...

Bang bang (My baby shot me down) e deixaram-me morrer no chão.


AMEI.

V disse...

a dor está tão bem expressa, consegui senti-la! amanha é outro dia e depois outro e depois outro...vais ficar bem :)

Wilson disse...

Gostei. ;)

Beatriz Cró disse...

És a sócia numero 3.

baby piggy disse...

Oh obrigada :') adorei o texto. Está sentido, sim! Mas alguém vai-te levantar, com certeza.

(sim, vai haver continuação) *

Davi(d) disse...

Adorei este texto e de que maneira.
Tens-me como seguidor assíduo do teu blog ;)
um beijinho :*

Afonso disse...

Adorei. Fiquei completamente rendido, confesso. Já não passava aqui há algum tempo, mas prometo voltar. :) Um beijinho*

Ar disse...

A ferida sarará sempre, é a virtude do tempo se nao, para que serviria ele?

=)

gstei *

P. disse...

Nestes casos de dor , ninguem ajuda , toda a gente deixa morrer.

Afonso disse...

Obrigado :D
*

Beatriz Cró disse...

Eu acho que sim.

Matilde Cê disse...

e se eu não deixar?

[]

sunshine disse...

Bonito texto, muito mesmo :)